quarta-feira, 29 de junho de 2011

Um adeus que virou bye-bye

Oi.

Antes de tudo peço desculpas, de todo o coração e com um pesar extremamente pe-sa-do.

A verdade é que fiz um blog novo. E tenho meus argumentos, neste eu não estou produzindo mais nada, eu não sinto mais vontade de verdade de escrever. Eu sei que demorei muito para chegar até esse ponto, EU SEI, mas parece que foi quase em outra vida quando criei esse blog. E sei que não é nada humilde e modesto, mas eu, Alessandra, amo esse blog. Amo os Pensamentos de uma Banana Transgênica e tudo que ele contém. Mas estou recomeçando por que sei que isso é preciso.

Recomeçar é querer fazer melhor, é crescer e talvez seja colocar o fim em algo. Excluir esse blog? Jamais.

Apenas não mexer nele, não sei se sou realmente capaz de não postar mais nada aqui, na realidade, acho que vou acabar voltando pra cá de tempos em tempos para dar um oizinho, escrever isso me deixa triste, mas pra que mentir pra mim mesma?

Obrigada a quem acompanha o blog, quem já acompanhou ou que está simplesmente de passagem. Obrigada a todos os seguidores, me deixa triste deixar vocês. Talvez não entendam o por que de eu fazer isso, quem sabe futuramente...

O meu novo blog é o Procurando Violet, então sigam, comentem, achem minha decisão idiota.

É estranho começar a divulgar um blog. De novo.

Beijos com amor, 
Alessandra.

P.S.: Pelo menos eu não imigrei pro Tumblr, haha > blogeverspot <
P.S.²: Quem sabe o Procurando Violet não dê em nada por falta de compromisso da amadora que vos fala.

domingo, 26 de junho de 2011

Sem título por ter amor próprio sobrando

Sem imagem por falta de amor próprio - e preguiça. Mais por preguiça.

Hoje me perguntei o por que continuar com várias coisas. Sabe aquelas reflexões sem sentido, mas as  quais devemos a vida? Desse tipo.

Uma vez uma amiga me disse que quando se tem duas opções deve-se ficar com a segunda.

E ela estava certa, algo deve realmente te incomodar para você estar em dúvida entre duas coisas tão inexistentes e ao mesmo tempo importantes, a "temática" da minha amiga não era a mesma que a minha, o caso dela era amor, porém, metáforas foram feitas para serem usadas e essa não é exceção.

Tem coisas que eu realmente sei que não devo questionar, como esse medo do futuro ou de aranhas, mas está tão em mim que algumas vezes nem me dou ao trabalho de tentar tirar da cabeça, então eu aceito.

Só não quero deixar que as pessoas me digam o que e como vou ser. Beijos mãe.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Entre a cara e a coroa



- Você acha que esse tipo de coisa acontece sempre?

- O quê? Duas pessoas dizerem que se amam?

- Não, isso eu sei que acontece.

- Então do que você está falando?

- Eu estou falando de duas pessoas dizerem que se amam e sentirem isso verdadeiramente.

- Não sei, além da cara e da coroa, você não sabe o que é real.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Antes de opinar o negócio é buscar conhecer

Vadia. Você não me conhece.

Eu não sei qual o preço desse meu pequeno erro, mas eu sei que o erro é pequeno. Eu sempre tive pré-conceitos cobre muitas coisas e sobre muitas pessoas.

O caso é o seguinte, pensei que nunca poderia manter uma conversa com uma certa pessoa pelo simples acaso de achar que isso era impossível, eu pensava que ela não tinha opinião, e se tinha nunca a dava, eu também nunca havia ficado sozinha com ela para uma conversa.

Qual é o preço de estar errada?

Qual é o preço de formar uma opinião antes de conhecer, de saber sobre?

Tenho que dizer que não sei, algumas vezes isso pode ser ridículo em outras pode ser que não se saia ileso e ainda mais preocupante é não conhecer a maravilha de algumas coisas pelo fato de ser ignorante a tal ponto.

Não vou dizer que pararei de fazer pré-conceitos, por que eu sou assim. Digo também que sou uma pessoa muito indisciplinada para colocar regras em minha vida, principalmente tão diárias e que fazem parte de mim. Porém ouvir um pouco mais não fará mal algum a mim.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

O sol faz as pessoas felizes

pense antes de dizer algo estúpido

A coisa mais engraçada que tem acontecido nos últimos dias é eu falar muito séria que fiz um vídeo no Make Movier e não no Movie Maker.

Depois disso o que mais me abala é meu stress matinal ininterrupto e um certo problema com minha internet, PEQUENO probleminha. É que ela simplesmente não funciona direito a três dias. Isso me dá nos nervos e quando começa a cair ela me deixa em um estado de abstinência virtual terrível. Aiai...

E eu querendo Gossip... Grey's... Game of Thrones... Doce sonho de outono.

Calma, o melhor da semana foi minha irmã ganhar um CD/DVD do Luan Santana de uma amiga minha e dizer em alto e bom som que acha que gosta mais dela do que de mim, mas né, não me preocupo com esses detalhes simples, o fanatismo pode fazer coisas terríveis com as pessoas.

Ainda bem que o sol faz as pessoas mais felizes, isso me faz sentir melhor, em uma semana vi quase só nuvens e ainda posso abrir um sorriso mesmo com meus dedos da mão congelando e um DVD tocando sem parar aqui em casa.

Espera baby. As reclamações de hoje já acabaram, essa é apenas uma informação >> eu não tenho um namorado no dias dos namorados <<

- Meu bem, você não sabe o que é amar, você não sabe o que é o amor.
- Meu bem, você está encalhada no dia dos namorados S2
- Meu bem, sozinha você fica completamente bem.

POR QUE EU AINDA INSISTO NISSO?

sábado, 4 de junho de 2011

The letter & psicologia inversa



Observe. Tente pegar no ar.

Estou com um problemão, e ele se chama preguiça e falta de vontade, tento amenizar com café e um pouco de psicologia inversa. Nada resolvo.

Mas... sabe que passa, agora por exemplo, sinto saindo de mim, é que estou escrevendo, e isso sempre me anima. Tantas palavrinhas pra saírem de dentro da mente, guardadas a dias, só para explodirem uma hora ou outra, mas sinto que a EXPLOSÃO não vai ser hoje não.

Vou tomar um café, por que né...

Estou com um problemão, e agora ele se chama rimação.

P.S.: A Danielle de Sykesville, my penpal, respondeu minha carta, estou muito feliz, ela mandou quatro páginas escritas, a carta chegou hoje de manhã e também tem algumas fotos.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Paixão literária entre outras histórias

                           Tumblr_llxiup32ar1qcjclio1_500_large

Eu acho que sei o momento de minha vida em que começou a minha paixão pelos livros. Talvez tenha sido desde de a mais terna idade, quando eu não sabia ler e minha mãe lia mil histórias diferentes para mim.

Eu lembro dela me levando na biblioteca e me mostrando os livros, ela sentava comigo nas almofadas coloridas e dizia para mim escolher uma história, qualquer história. Então, eu, na ala infantil escolhia um livro curto, enquanto ela segurava na sua mão o livro que havia escolhido para si, um livro que em minha cabeça, eu nunca conseguiria ler.

Sabe o que é mais incrível de tudo isso? A leitura construiu minha personalidade de uma maneira que sem ela, eu seria alguém totalmente inversa do que sou hoje. Não que eu seja lá grande coisa, mas convenhamos, a leitura muda as pessoas, para o bem, sempre.

Eu poderia inventar mil desculpas para meus momentos de não-fraqueza, que são os que eu deveria ser obviamente fraca, mas não me deixo curvar a certas coisas. Poderia ser algo que já é de minha natureza ou que já aprendi tendo a experiência de vida, mas a grande verdade é que a leitura é que fez eu ter a vontade e a capacidade de argumentar e lutar contra muitas coisas. A leitura.

E é por isso, que eu sempre tento fazer com que as pessoas gostem de ler, faz bem, é divertido, e faz com que você tenha algo a mais. Algo que só você pode ter, mil histórias diferentes, muitas memórias e a originalidade que serão sempre somente suas. Leiam.

sábado, 28 de maio de 2011

As dúvidas que me movem

              

Me pergunto várias vezes se o medo maior dentro de mim é a certeza de meu futuro imaginado ou a dúvida sobre o que serei.

Tem dias que acordo com absoluta certeza sobre aquilo que serei; uma jornalista, uma boa jornalista. Mas em outros me pergunto: "por que não outra profissão? É isso que quero realmente?".

E é a isso que me refiro, as duas coisas me dão medo. A primeira por que a certeza pode ser ilusão, e também por que essa profissão nunca irá dar certo na minha cidade. E a segunda, por que não gosto de não saber que escolha fazer. A vida é escolher. E essas escolhas dão medo. A vida, portanto, dá medo.

Escolher faz parte, já aceitei isso, mas correr atrás de algo que não tenho absoluta certeza? Não sei se sou capaz.

domingo, 15 de maio de 2011

Época de mudança



Tenho minhas fases com meu blog, do drama a comédia, da tristeza a felicidade, da estratégia ao trágico lixo cuspido que virou texto.


Ah, com toda a certeza eu tenho minhas fases.


Essa fase se chama "Vazio". Vazio por que não sei o que dizer. Vazio por que o que se repete muitas vezes no fim é nada. Vazio por que o "não sei" virou referência.


Mas a fase vazio também é algo. Oh, de fato é. E é querer preencher a mim mesma com a próxima época, a que virá.


Não me perguntem o gosto do vazio, outra época vem, e nela não falarei mais sobre o que é doce ou amargo, ruim ou bom. Sentimento não é comida.


Mas sei que tudo uma hora ou outra tem de ser digerido.


E como diria o Sr. Papagaio Mudo: "Não tenho vergonha de dizer que estou triste. Vergonha é não ter o que dizer."

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Personificações



Sabe todas aquelas dúvidas que você nunca quis ter? Pois sim, elas estão todas em cima de você neste exato momento.
Sabe aquele sufocamento que você sempre tem quando se engasga? Pois é, é isso que você sente agora, e está apenas colocando pra fora enquanto escreve.
Sabe o sentimento de impotência diante de algo importante para você - apenas para você - e mísero para os outros? Tente entender isso meu amor.
Sabe a personificação de alguém em sua mente? Jamais faça isso.

Beijos e mantenham contato, é alejungs@hotmail.com, me mandem quantos e-mails quiserem, eu estou aceitando opiniões mais inteligentes. Haha, brincadeirinha pessoal.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Descontrole


Um toque aqui, e outro ali. Deixar ser, deixar de ser. Querer mostrar discretamente o que jamais sentiu antes. Sair lentamente detrás do véu de medo. Interrogações. Dúvidas. Fingir que conhece, que sabe o que e quem é. Calar-se. Conseguir manter a fúria contida. Se descontrolar. Cuidado.

domingo, 8 de maio de 2011

Ao lado do que me faz sentir



Eu percebo que passei tempo demais embaixo do chuveiro quando todos os problemas desaparecem, e não quando minhas mãos enrugam.

Eu percebo que saudade pode ser sinônimo de paixão quando as lágrimas caem sucessivamente, e não quando estou ao lado do que me faz sentir.

Eu percebo que tenho temas de física para segunda somente no domingo a noite, e não em qualquer outro dia da semana.

Eu percebo que poderia ter dado um pouco mais de mim apenas quando já perdi a chance, e não quando tive a oportunidade.

Eu percebo que estou pirando quando vejo que deveria ter tido uma atitude digna, e não me escondido embaixo da minha casca de tartaruga.

E eu só queria estar ao lado de quem me faz sentir.

Texto fictício 

sexta-feira, 6 de maio de 2011

A minha semana em poucos detalhes



Fiquei até com vergonha de aparecer por aqui, uma semana sem postar nada é muito, muito feio. A verdade é que minha semana anda agitada, são coisas simples, mas que eu quero fazer, o que me deixa atordoada, pois nunca sei o que fazer primeiro!

Essa semana li "A escrava Isaura" e comecei a ler "Memórias Póstumas de Brás Cubas", isso como "estudo", por prazer eu li "Nosso Último Verão" da Ann Brashares, que é muito bom, e agora estou lendo "Tentada" da P.C. Cast e Kristin Cast.

Comecei a olhar um seriado chamado Game of Thrones, e cada episódio tem uma hora (!) de uma nova aventura. E estou penando pra ter um tempo de olhar Castle, que é uma série maravilhosa!

Também fiz essa semana o cadastro em um site chamado busuu.com (fikdik), foi feito para pessoas que querem aprender outras línguas gratuitamente e conhecer pessoas de outros países. E viajando por ele, conheci a Mathilde, da França, mas que também fala inglês, faz três noites que converso com a Mathilde, ela é muito paciente e querida, por que sejamos sinceros, meu inglês é uma porcaria (por enquanto). Concluímos que perdi bastante tempo pensando na francesa e falando com a francesa.

Alguém conhece a banda Cachorro Grande?



Bem, ela vai estar aqui na minha cidade dia sábado de noite e eu vou ir no show, leia-se "COM QUE ROUPA EU VOU?!" haha. Já comprei um vestido cinza com rendas, uma ankle boot e uma meia calça fumée, vou ir bem cat. Mas meu sexo é o feminino e noiei muito até comprar a roupa (ontem).

Uma amiga minha havia comprado pra mim o ingresso do show, e ainda não havia me dado, hoje de tarde no vôlei, ela me entregou o ingresso e eu fui pra casa a pé, com o ingresso na mão.

Perdi.

Fiz quase 2 km caminhando tentando achar o maldito, quase me estrangulei, fiz o caminho de novo e de novo, até que... Papai me encontrou de moto e disse: "Sobe aí que a gente vai comprar outro".

Tuuuudo bem... Não foram essas palavras exatamente, havia alguma negatividade no ar: "Tu não vai achar o ingresso Ale, alguém já achou, sabe onde tem outros pra vender?".

Eu sabia. Óbvio.

E esse é meu grand finalè, tenho ingresso, tenho roupa, uma amiga francesa, e um seriado pra olhar. Não esquecendo, que alguém dos 40.000 habitantes da minha cidade se deu bem, e vai entrar grátis em um show neste final de semana.

Beijinhos, Ale.

P.S.: Se esse alguém puder, por favor, mande uma nota de agradecimento. Atenciosamente, Alessandra.
P.S.²: O que eu vou fazer no meu cabelo?? Eu estava pensando em tranças... Tem que ser algo atado, pra mostrar a renda do vestido. Ideias sempre ajudam...

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Um romance real

William e Kate

Sou apaixonada por famílias reais, por rainhas megeras e por princesas destemidas. Desde a infância me encantei com historinhas infantis que envolviam uma princesa e um príncipe, no começo da adolescência conheci  a Princesa Mia de Meg Cabot, que fez eu me apaixonar pela leitura, depois conheci Lady Di, com uma biografia que me emocionou, e agora existe Kate Middleton mostrando que vem para ficar.

Quem nunca sonhou em casar com um príncipe? Seja sincera consigo mesma, pois eu já. Existe algo mágico em volta disso, algo além do que muitas pessoas não tem em suas próprias vidas, algo irreal.

Quando você se imagina princesa, está pensando no melhor que a vida pode te dar, e esquece de uma coisa importante: sua vida não é mais sua, ela é do público.

Você segue regras. Só levanta da mesa depois que a rainha levantar, só pode sair com seguranças, deve estar  sempre linda, sorridente e bem vestida. Poderá perder quem sabe, a melhor parte de si mesma.

"Quem são os verdadeiros amigos?" Kate poderá se perguntar. "Será que roupa preta é adequada?" Já pensa com um tristeza interior.

Ela só deve pedir que toda essa possessão pública para cima do casal real não atrapalhe esse sonhado relacionamento, que não gere brigas e descontentamentos, nem tristeza e afastamento.

As pessoas comentam, existem o que eu chamaria de dois tipos levemente excêntricos: os que ridicularizam e os que adoram toda esse bafafá. E outras pessoas que existem mas não se pronunciam: elas olham de esguelha ou simplesmente não estão nem aí. Essa é a minha teoria para milhares de assuntos, e nesse se dá mais razão ainda.

Não concordo com as pessoas que dizem que a monarquia na verdade não serve para nada, me diga você, quanto turistas isso não traz para um país? O Palácio de Buckingham, as excentricidades reais, o diferente modo de vida e as roupas, quantas pessoas não se interessam por isso?

Desejo sorte para Kate, porque sua vida vai ser na realidade, tão agendada e rodeada de paparazzis quanto foi a da mãe de seu noivo, Lady Diana, e ela literalmente não sobreviveu a isso. Respirar para quê? Desde que seu vestido de noiva a deixe fazer isso, dois "SIM" sejam ditos com confiança e abençoados, por hora tudo estará bem.

Pauta para Blorkutando, semana 135ª, tema: "O Casamento do Ano".

terça-feira, 26 de abril de 2011

A escuridão da anti paz que existe aqui



Quero ver a clareza. Essa distante e espectral clareza. Mas para isso acontecer, sinto que você deve me tirar daqui. Seja quem for ou por que lado vá. Apenas me coloque fora da confusão e dessa anti paz que existe aqui.

Levo comigo apenas as vozes que conheço, que em minha mente, gritam em busca de asilo. Lembro de ouvir minha mãe cantando com os pássaros, sem querer transformo essa voz em gritos de terror, ela pede socorro. Posso ouvir meu pai pedindo uma taça de vinho, mesmo com ódio isso vira um sussurro de dor em minha mente.

Tento pensar em outra coisa, algo que me faça sentir bem, ou apenas me entretenha por alguns instantes, fazendo com que eu esqueça esses maldosos pensamentos. Tudo em vão.

A clareza. É isso que quero. Não existe dor, nem lágrimas, apenas assombro. Essa procura louca e ao mesmo tempo divina atrás de respostas. O desejo de ter tudo pronto, ao alcance das finas mãos, o desespero de nada encontrar.

As mãos estão soltas na escuridão, a clareza não se encontra ali. Por que lado você pode ir, para me levar daqui?

sábado, 23 de abril de 2011

Do you like me?

Amar não é fácil. Na realidade amar é dificílimo, gostar é que não é fácil.
Gostar é o começo, e algumas vezes o fim. Gostar é achar que está apaixonado, é pensar em como poderia ser legal. Gostar é simpatia, é respeito e é distância. Gostar é achar que tem algo, mas não ter nada. Gostar é ilusão.
Gostar pode ser o inicio de uma amizade ou de um casamento, aliás, gostar é o inicio.
Mas amar... Amar vai além. E eu ainda não tenho experiência nem competência para falar disso, não do jeito que tem de ser dito, e só agora eu sei...


Só por que a tag amor está cheia por aqui.

terça-feira, 19 de abril de 2011

A felicidade que há dentro de cada um de nós

Não sei quem é, e nem me interesso profundamente, apenas achei ela feliz.

Eu sou feliz, mas em muitos dias eu também sou triste. Acho que todos conhecemos a história do é tudo ou nada, 8 ou 80, eu não sou assim. Tem dias que acordo melancólica, prisioneira do meu próprio corpo. Em outros posso ser tão alegre que consigo fazer os que estão a minha volta sorrirem. Eu posso ser o 8 e o 80, um completa o outro em mim.

Ninguém pode ser feliz o tempo todo, isso se chama falsidade. Obviamente a felicidade faz parte de nossas vidas, e muitas vezes não percebemos que estamos ao lado desse sentimento tão forte e tão procurado, deixamos ele passar. Quem nunca foi feliz? Mesmo que por milésimos garanto que a felicidade já esteve presente.

Quando a felicidade chega, ela não bate na sua cachola e diz: estou aqui, você está sendo feliz agora. Não é assim.

Algumas semanas atrás andando na rua tomei um banho de chuva e me senti feliz, enquanto isso uma mulher passava ao meu lado embaixo de um guarda-chuva, bravíssima, estávamos no mesmo local, sozinhas, em silêncio. Percebeu a diferença do que havia dentro de cada uma? Isso é personalidade, é o dia e o momento.

Muitas pessoas acham que vão atingir o ápice da felicidade quando casarem, tiverem filhos ou comprarem  uma casa. Outras acham que chegarão ao êxtase da vida quando terminarem uma faculdade, conseguirem um bom emprego, forem reconhecidas ou ganharem dinheiro. Mas posso garantir que a maioria quer um grande mix de tudo isso.

Passamos anos planejando um futuro, como vai ser, com quem vai ser e onde vai ser, e pensamos que com todos os desejos completos seremos felizes.

Realmente é isso? Mas e o agora?

Eu me sinto feliz neste momento escrevendo, minha irmã está jogando futebol e não me parece nem de longe triste. Eu poderia estar lá ao seu lado, e garanto que ainda estaria feliz, por que somos nós que fazemos os melhores momentos de nossa vida, atitudes negativas geram tristeza.

A felicidade pode ser a compra do seu carro novo, mas você vai querer mostrar pra alguém importante na sua vida que o comprou, e esse alguém tão importante te faz feliz, e você ama essa pessoa, independente de quem é.

Ela importa mais que o seu carro, mais que sua casa ou que sua graduação. E sabe por que? Por que o ápice da felicidade, não é o da minha irmã jogando futebol ou eu escrevendo neste momento, o ápice da felicidade é quando você está com alguém, sua mãe, pai, namorado ou amigo.

Resgate dentro de si o momento mais feliz da sua vida. Como foi? Estava mostrando com orgulho seu diploma aos pais? Ou morando em uma casa nova com a família? Ou quem sabe com sete livros novos, agradecendo a sua mãe?

No final, percebemos que a felicidade é apenas achar dentro de nós mesmo o que faz a vida valer a pena, não tentar mudar o que há ali, é ser a verdade para os outros, é escolher um caminho e andar nele até o ponto mais alto, onde todos os que amamos nos esperam.

Pauta para Blorkutando, semana 134ª, tema: felicidade.

domingo, 17 de abril de 2011

Juntos pelo Acaso



Acabei de olhar um filme no estilo "queria olhar de novo como se não tivesse olhado", o nome?

Juntos pelo Acaso.

Tem um quê de tristeza, mas na maior parte é hilário. Fui uma explosão de sentimentos; chorei, ri e senti pena. Mas o que dominou foi o amor pelo que é aquela família.

Katherine Heigl (a loira de Grey's Anatomy) está com tudo neste filme, só peço que olhem dublado, a voz dela é masculina demais.

Mas dando uma resumida rápida na história, o que acontece é isso: um casal feliz tem uma filha, os padrinhos dela são jovens, solteiros e se odeiam. O casal feliz morre e quem fica com a custódia da filha são os dois padrinhos jovens, solteiros e que se odeiam.

Então já viu né?

A história se desenrola de uma maneira incrível, é o que todo mundo pensa, mas nem por isso deixa de ser boa, saibam que eu estou indicando esse filme e se olharem me digam se gostaram ou não, sempre é bom saber o gosto de quem lê meu blog.

Dêem uma olhada no trailer, e fiquem com gostinho de quero mais:

quinta-feira, 14 de abril de 2011

As 10 coisas que eu mais amo hoje

Totalmente inspirada no post do blog Ambiente Vistoriado que se inspirou no blog The Coveted, vim aqui dizer as 10 coisas que mais amo hoje. Hoje, por que a vida é um ciclo e sempre devemos mudar nossos gostos, então please, degustem meus amores de momento com bastante cuidado:

Salada de fruta




Ontem na vovó comi uma salada de fruta deliciosa, e eu como amante nata de qualquer tipo - de fruta -, não podia deixar essa passar em branco. Faz bem, é super saudável e é super fácil de fazer, então não tem desculpa, fruta em casa tem que ter sempre.


Floco de Neve




Sim, fui eu que fiz esse grande floco de neve, se você que aprender também, entre aqui, nem acredito no quanto foi fácil e ficou muito lindo, vou fazer outros para colocar no meu quarto, é uma decoração super fácil e barata de fazer. É um enfeite meio natalino, mas quem não sabe, não percebe. Está aí uma ideia boa.

Faixa para cabelo



Ah, eu acho muito lindo faixas no cabelo, mas me falta coragem para sair com uma na rua. A minha cidade é pequena, e as pessoas iam ficar olhando. Não gosto de me sentir desajustada, quem sabe quando eu estiver morando em uma cidade maior... É lindo né?

Perfumes Sweet e Rock


Uma fragrância doce e outra um pouco mais amarga, minha mãe me deu esses dias e eu amei, dá pra fazer umas misturas legais, e para os cult se interessarem - KKK -  é da capricho. HAHA, sério, nada contra.

Pipoca e chimarrão


Sou uma gorda mesmo, mas pipoca é a melhor coisa enquanto chove, como hoje, com um chimarrão então... Viva as pessoas desocupadas como eu!

Castle


Estou viciada na série Castle, e digo a todos que quiserem uma boa indicação: Assista Castle! É sobre uma detetive e um escritor, e eles se juntam - ela a contra-gosto - para resolver crimes, é muito interessante e viciante. Estou no fim da segunda temporada e comecei a quase duas semanas. Assista, e venha me dizer o que achou.

Meus amigos


Gente, o que seria da life sem eles?

Minhas little sisters

Mariana, Juliana e eu.

Algumas vezes eu morro de ódio e em outras eu morro de amor. Eu amo elas hoje, ontem e sempre. Como diz uma amiga minha - mas não pelos mesmos motivos -, é sangue néam!

James Franco


Ele é um lindo, fofo e maravilhoso, e eu gosto do seu trabalho. MMM, beijos James.

Tranças


Eu amo tranças, e mesmo sendo difícil fazer em mim mesma, algumas vezes eu me dou ao trabalho. Como nas fotos acima. E acredite se quiser; fazer tranças desestressa, mas só nos outros.

____________________

Então o que acharam da minha listinha? Faça uma também, sempre é legal se descobrir.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Kiss me, Ki-Ki-Kiss me

Feliz dia do beijo pessoas. Que vocês beijem muuuito, por que admitam, é bom.


P.S.: Dizem que é bom se desfazer das coisas é por isso que vou lá excluir todos os episódios de Castle do meu computador *chorando*, meu computador está muito lento.
P.S.²: Este blog está perdendo conteúdo, saia enquanto ainda há tempo!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Você é Alba

You are Alba
Estou em guerra Alba, tente entender.
É uma guerra comigo mesmo, tem algo a ver com o que quero e o que preciso sentir. Todos os dias, constantemente eu peço paz, mas de que adianta pedir? É preciso querer.
Eu sei diferenciar o que quero ou não quero Alba, e essa batalha interminável comigo mesmo, é uma das coisas que continuará em mim. Eu não quero o silêncio, eu preciso do barulho, de sons, preciso ser todos os dias um vulcão em estado de alerta, borbulhando.
Acredite, eu borbulho.
Você é o que eu não sou Alba, você é doce, é frágil, é leve.
Perto de mim você desintegraria, eu sou um vulcão, e você é apenas Alba, perto de mim o resultado seria a morte.
Leia a letra "s" Alba, faça esse barulho durante alguns segundos, ÉSSS..., esse é seu som. Alguns o usam para caracterizar as cobras, mas você passa longe disso, você é o que eu não sou, você é o que um dia desejei ser, mas que jamais fui: você é Alba. É a guerra dentro de mim.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Que liberdade é essa?

Tudo o que você deve saber sobre mim, é que eu sou livre o bastante para escolher não dizer nada. E a liberdade me prende tanto quanto um calabouço, por que quem nasce livre desse jeito não pode pedir pra mudar, e não mudar é quase como não evoluir.
Eu gosto da liberdade, mas algumas vezes gostaria de me prender a alguém.


Todos já aprendemos que amor tem mais resultados que medo na internet:
AMOR: 472.000.000
MEDO: 35.900.000

Enquanto isso no We Heart It:
Couple (casal) tem 4.629 páginas e alone (sozinho) tem 714.

Percebemos claramente que o melhor é não viver sozinho. De resto, tirem suas próprias conclusões.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Rotina pra fora - pra fora de mim

Ontem terminei de ler "Memórias de Um Sargento de Milícias" do Manuel Antônio de Almeida, nada a declarar sobre, por que não gosto de fazer criticas negativas sobre o que não conheço direito, e eu não vivi no tempo em que foi escrito então... Faço tudo pelo vestibular.
Comecei a ler "O Guarani" hoje. É, a vida anda difícil.
Mas pra passar as horas em que eu não aguento nem mais um parágrafo de tédio vagas, eu comecei a ler pela terceira vez a saga Harry Potter, já estou no segundo livro, e sinto que vai ser a última vez que vou ler a série na minha fase adolescente, não me pergunte por que, apenas sei.
Hoje de tarde tive inglês, minha língua quase morreu tentando falar algumas frases, e passei o dia inteiro vegetando de tanta cólica.
Mas a felicidade maior é que amanhã não tenho aula, vai ter uma reunião com os professores e o Secretário Estadual de Educação, então imaginem uma pessoa acordando só meio dia: é, sou eu.
Quero dizer que o que eu realmente queria dizer, eu não vou dizer.

Beijos.

AAH, lembrei de uma coisa, acho o Sebastian Vettel muito fofo, e já falei pra mom, que vou começar a olhar F-1 só por causa dele. Jornal Nacional inspirando vidas, valeu @realwbonner.

Beijos pra valer.

mimi

terça-feira, 29 de março de 2011

Olha só: Primeiro poster de HP7 parte 2 foi divulgado...

... E eu estou triste, tudo vai acabar.


Tudo acaba dia 15 de julho, e sim, eu vou estar lá pra olhar.

domingo, 27 de março de 2011

A dor japonesa: ela não cabe dentro de nós


Hoje eu estava tentando entender a dor de um homem que perde sua mulher depois de quarenta anos casado, ela sumiu no tsunami, devido ao terremoto destruidor do Japão.

Ele chorava contando que vai todo dia ao local de trabalho da mulher, onde ela desapareceu, tentando pelo menos encontrar seu corpo, tudo está inundado pela água do mar e não existe mais prédio algum, faz dezesseis dias que ele não dorme direito.

Hoje eu estava tentando entender, pelo menos sentir sua dor o mínimo que fosse, mas não consegui suportar. A dor daquele homem foi o bastante para me tirar da sala. A dor daquele homem foi o bastante para me fazer chorar antes e agora; enquanto escrevo isso.

Não sou uma extrema sentimentalista, nunca fui, preciso de muito para chorar, e a aflição daquele homem foi o bastante para sentir um pesar enorme dentro de mim, algo maior que meu próprio poder sobre o que sinto. Por que além dessa mulher, mais 10.872 morreram - até este momento - e o sêxtuplo disso, pra mais, chora e sofre por esses conhecidos.

10.872 pessoas, você pode não ter conhecido nenhuma, então não interessa a você, vire as costas, finja que não aconteceu e coma o próximo pacote de bolachas. Hoje em dia, é isso que os humanos sabem fazer melhor.

Eu estou aqui representando minha própria dor, levando ao conhecimento dos outros que sinto, sinto muito mesmo, por tudo que aconteceu lá. Posso pedir paz para aquelas pobres almas, mas nada além disso. Cada um cura suas feridas no seu próprio tempo.

Desculpe demorar pra escrever sobre isso aqui, não sabia como me posicionar.

Entenda o que quero dizer sobre comer bolachas enquanto o mundo explode, com esse texto que fiz no último natal, tem uma citação do livro "As Memórias do Livro" da Geraldine Brooks que nos faz refletir.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Ruptura saudável


Mesmo negando, em seu inconsciente ela queria voltar a todas aquelas noites em que se sentia protegida no calor de seus braços e abraços.
Noites em que a chuva era a música de fundo, e os cobertores a principal atração. Dias em que cozinhar era a maior diversão.
Noites que voaram para além de onde ela poderia alcançar.
Com seu cabelo emaranhado ela ainda se sentia bela, e com xícaras quentes de café o amor ultrapassava as fronteiras que conheciam. O amor.
Então se foi... Não entendam como algo complicado, ou que precise de páginas com explicações, acabou-se por que nada é eterno. Um dia não estava mais lá.
Que bom seria se todas as rupturas fossem tão saudáveis assim.



É sobre como você ri sem piedade
Porque vamos ser honestos, eu não sou realmente muito engraçado
Eu sei que você é tímida,
Apenas deixe-me cantar para você dormir.
(Tradução de Lullaby - The Spill Canvas)

quarta-feira, 23 de março de 2011

Acho lindo, acho sim senhor

oin pessu, eu gosto de tirar fotos, esse ser aí ~^ é alguém que tem uma
câmera cool, em algum lugar do mundo. Sem fonte.

Mas eu acho lindo, quando passo três noites seguidas estudando pra uma prova de História, e quando chega a hora a professora diz que pode ser com consulta. Sim, eu acho isso lindo.
Sabe o que mais eu acho mais lindo ainda? Encomendar um pó e uma base - que juntas custam mais de R$50,00 - e na hora que elas chegam perceber que foram feitas pra pessoas que nasceram no norte do país e ficam o ano inteiro bronzeadas, gente, aquilo é LARANJA e não bege!!
Mas agora, lindo pra valer, é achar um fotolog seu e de sua amiga de cinco anos atrás e rir pra valer com: o jeito que você escrevia, os gostos e principalmente as fotos. Vocês não sabem o sentimento que dá ao abrir um link daqueles; é uma mistura de susto, riso, nostalgia e ó, TERROR!
E divertido é estar olhando Harry Potter na SBT todos os dias, bem feliz, nascendo uma vontadinha de de reler a série de novo...
Feio é não aparecer mais por aqui.
Ridículo é dizer que é um bloqueio criativo.

oin pessual, eu gosto de tirar fotos, e essa eu tirei!
Viram como a vista da minha janela é bonita?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...